segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

A Morte da 'Mamãe Sacode'


Poucos notaram, mas a mamãe sacode desapareceu na década de 90. Sua morte fora anunciada antes disso, mas seu desaparecimento aconteceu sem qualquer justificativa a seus admiradores (se é que existiu algum..).

Essa peça tradicional da fantasia carnavalesca da Bahia dividiu espaço com as latas de cerveja na mão dos foliões durante muitos anos.

Funcionava assim: o folião comprava a mortalha, e posteriormente o abadá (será assunto de outras postagens, pois também surgiu na década de 90) e ganhava um kit, que continha além da fantasia, uma mamãe sacode e aqueles folhetos de instruções para o folião que até hoje são muito úteis (local e hora da concetração, trajes, alimentação antes da folia, use camisinha, etc).

Na avenida ela coloria a festa! Bastava o cantor pedir e todo mundo sacudia a mamãe acima da cabeça... Tenho que concordar que gerava um efeito bacana, mas as consequencias eram das piores!

Na maioria das vezes estavam molhadas e quando sacudidas espalhavam por um raio de 5 metros todo o tipo de líquido que estava preso à elas (cerveja, suor, água, lama, mijo, etc)... Muitas eram tiradas do chão depois de serem pisoteadas pela metade do bloco que já avançava por outra esquina do circuito.

Isso quando não lapeava (expressão originalmente baiana) a cara de alguém, o que algumas vezes provocava a irritação compreensível desse alguém. Quantas lentes de contato não ficaram pela avenida por causa das famigeradas mamãe-sacode???!?

Hoje elas não existem mais... Mas isso não quer dizer que as lapeadas deixaram de existir.

A mamãe-sacode foi substituída pelas madeixas com Kolene, que quando acertam a boca chegam a deixá-la dormente!

O coitado fica uma semana sem sentir o gosto de nada... Parece que engoliu uma touca de banho!

Ah.. Depois do Kolene, que saudade da mamãe-sacode!!!

Abraço!

Tchê

4 comentários:

AlexandrePauperio disse...

Eu não tenho saudade alguma!
Já foi tarde. Carregar esse negócio até a saída do bloco era um saco, e ainda era solicitado para carregar da mulher, irmã, prima...
Agora são duas mãos só para a Skol!

Mauro Souza disse...

Não tenho saudade alguma dessa p... Mesmo porque, com minha baixa estatura, a minha "mamãe sacode" nunca foi muito percebida no meio da multidão. Ainda mais quando resolveram trocar aquele cabo de vassoura por um pequeno e tímido bastão de plástico! Já foi TARDE!!

Vania disse...

Ah, Gente!!! Eu gostava... Amava sacudir a engenhoca a pipoca começava a pular. Além do mais, era uma lindeza!!! O colorido da Avenida era sem igual.
Entretanto, nada se compara à perspicácia de Tchê: depois do Kolene, que saudades da mamãe-sacode!!! hhsauhsaushau
Quase "miuri" de tanto rir...
amei

Caio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.